A importância da prática constante

A importância da prática constante...

A importância da prática constante  (trecho do Capítulo X do livro “Os Ensinamentos Finais de Annamalai Swami”, de David Godman)     O livro “Os Ensinamentos Finais de Annamalai Swami”, de David Godman, reúne os ensinamentos desse que é considerando um dos principais discípulos do grande sábio indiano Sri Ramana Maharshi (1879-1950), tendo vivido com ele e aprendido dele por vários anos, finalmente alcançando a realização suprema. O livro já conta com edição em português e os detalhes da publicação podem ser encontrados neste post.  Para adquirir um exemplar acesse nossa loja virtual ou clique aqui para comprar o livro em formato e-book AmazonKindle.    Pergunta: Eu tenho tido pequenos vislumbres, especialmente durante o sono, de não ter pensamentos. Têm acontecido outros vislumbres nos lugares mais improváveis. Em Lucknow, que é uma cidade grande e agitada, com pessoas gritando e berrando por todo o lado, eu estava descendo de bicicleta uma rua movimentada quando repentinamente senti a paz do Ser, que era subjacente a tudo. Eu pude sentir o Ser, ou pelo menos foi uma experiência que eu pensei que deve ter sido do Ser. Havia uma imobilidade e um silêncio no meio dessas condições totalmente caóticas. Em outros momentos o pêndulo oscila para o outro lado e eu me sinto completamente perdido em meu mundo mental, e no mundo caótico exterior. Eu me sinto um pouco confuso sobre o processo e a técnica da autoinquirição, a tal ponto que eu preciso voltar e ler os ensinamentos de Ramana sobre o assunto repetidamente até que a confusão me deixe. Eu gostaria de ouvir os comentários do Swami sobre isso. Eu sei que não há nada novo que ele possa dizer sobre o assunto. Eu sei que tenho que continuar com...
A Irrealidade do Mundo

A Irrealidade do Mundo

A Irrealidade do Mundo (trechos do Capítulo III – The Jnani and The World, do livro Maharshi’s Gospel – The Teachings of Sri Ramana Maharshi )   Ao ver o mundo, o jnani (iluminado) vê o Ser que é o substrato de tudo que é visto; o ajani (não-iluminado) é ignorante de seu verdadeiro Ser. Tome como exemplo os filmes numa tela de cinema. O que está diante de você antes do filme começar? Simplesmente a tela. Sobre essa tela você vê o filme inteiro, e para todos os efeitos as imagens parecem bem reais. Mas tente pegá-las. O que você pega? Unicamente a tela sobre a qual as imagens apareciam como reais. Ao final do filme, quando as imagens desaparecem, o que permanece? A tela novamente! Assim acontece com o Ser. Somente Ele existe; as imagens vêm e vão. Se você agarrar-se ao Ser, não será enganado pelo aparecimento das imagens. E nem tem nenhuma importância se as imagens aparecem ou desaparecem. Ignorando o Ser, o ajnani pensa que o mundo é real, da mesma forma que ao ignorar a tela de cinema ele vê unicamente as imagens, como se elas existissem separadas dela. Se percebermos que sem aquele que vê não há nada a ser visto, assim como não há imagens sem a tela de cinema, não seremos iludidos. O jnani sabe que a tela, as imagens e a visão deles são apenas o Ser. Com as imagens, o Ser está em sua forma manifesta; sem as imagens Ele permanece na forma não manifesta. Para o jnani é totalmente irrelevante se o Ser está em uma forma ou outra. Ele é sempre o Ser. P.: A princípio é fácil aceitar que o mundo não é real, mas...
O Ser e a Individualidade

O Ser e a Individualidade...

O Ser e a Individualidade (trecho do livro “Maharshi’s Gospel”)     D: A morte dissolve a individualidade de uma pessoa, de forma que não haja mais renascimentos, da mesma forma como os rios que deságuam no oceano perdem suas individualidades? M: Mas quando as águas evaporam e retornam como chuva sobre as montanhas, elas mais uma vez fluem na forma de rios e se lançam no oceano; assim também acontece com as individualidades, que durante o sono perdem sua separatividade para retornar à individualidade de acordo com os seus samskaras (tendências passadas). Na morte é assim também: a individualidade da pessoa com samskaras não é perdida. D: Como pode ser isto? M: Veja como uma árvore cujos galhos foram cortados cresce novamente. Enquanto suas raízes permanecerem intactas, a árvore continuará a crescer. Do mesmo modo, os samskaras que tenham meramente afundado no Coração, no momento da morte, mas não tenham perecido, ocasionam renascimento no momento propício; é assim que renascem os jivas (indivíduos). D: Como podem os inumeráveis jivas e o extenso universo cuja existência é correlata à dos jivas, surgirem dos sutis samskaras imersos no Coração? M: Assim como a grande árvore banyan (figueira brava da Índia) nasce de uma frágil semente, os jivas e todo o universo de nomes e formas nascem dos sutis samskaras. D: Como a individualidade emana do Ser Absoluto, e como o seu retorno é possível? M: Assim como a centelha procede do fogo, a individualidade emana do Ser Absoluto. A centelha é chamada de ego. No caso do ajnani, o ego se identifica com algum objeto simultaneamente ao seu surgimento. O ego não pode permanecer sem tal associação com objetos. Essa associação é devida à ajnana (ignorância), cuja destruição é o...
Autorrealização

Autorrealização

Sobre a Autorrealização (conversa n. 487, do livro Talks with Sri Ramana Maharshi)                     D.: Qual é o propósito da Autorrealização? M.: A Autorrealização é a meta final e o fim em si mesmo. D.: Quero dizer, qual é a utilidade da Autorrealização? M.: Por que você deve buscar a Autorrealização? Por que você não fica contente com o seu estado atual? É evidente que você está descontente com o estado atual. Esse descontentamento termina se você realizar o Ser. D.: O que é essa Autorrealização que afasta o descontentamento? Estou no mundo e existem guerras nele. A Autorrealização pode por um fim nisso? M.: Você está no mundo ou o mundo está em você? D.: Não entendo. É evidente que o mundo está à minha volta. M.: Você fala do mundo e dos acontecimentos nele. Eles são simples ideias na sua mente. As ideias estão na mente e a mente está dentro de você Assim, o mundo está dentro de você. D.: Não consigo lhe acompanhar. Mesmo que eu não pense no mundo ele ainda existe. M.: Você quer dizer que o mundo é separado da mente e que pode existir na ausência dela? D.: Sim. M.: O mundo existe no seu sono profundo? D.: Existe. M.: Você o vê no seu sono? D.: Não, mas os outros que estão acordados o veem. M.: Você se apercebe disso no seu sono ou pelo conhecimento dos outros, agora? D.: No meu estado de vigília. M.: Então você fala do seu conhecimento da vigília e não da experiência no sono profundo. A existência do mundo nos seus estados de vigília e de sonho é admitida porque eles são produtos da mente....
Maha Yoga – Parte V

Maha Yoga – Parte V...

A Maha Yoga de Sri Ramana Parte V Os trechos a seguir foram retirados do Capítulo XII do livro Maha Yoga, que já foi traduzido pelo Prof. Hermógenes e publicado no Brazil na década de 1950. Fizemos uma nova tradução do texto e há possibilidade de publicação neste ano (2011). Os trechos abaixo são provenientes da nova tradução. Em negrito são os subtítulos colocados pelo autor (K. Lakshmana Sarma) e, entre aspas (e em itálico), os ensinamentos do Maharshi. Esta é a parte final da série “A Maha Yoga de Sri Ramana”. *************************************************************************   RESPOSTA A UM PRAGMATISTA: Pergunta: “Se todos os homens renunciarem o mundo, quem lavrará a terra e fará a colheita?” Resposta: “Realize o Ser Verdadeiro e então verá por si mesmo.” Essa é uma resposta geral para todas as questões semelhantes a esta. SENSAÇÃO DE DIFICULDADE. “Um método nos parecerá fácil ou difícil, conforme o tenhamos praticado antes ou não.” AOS NIVELADORES. “A forma mais segura de se atingir a perfeita igualdade é ir dormir!”[1] CONTROLE DE NASCIMENTO VERSUS MORALIDADE. Pergunta: “O controle de nascimento é nocivo à moralidade?[2]” Resposta: “O Maha Bharata diz que quanto mais se cede ao desejo, mais insaciável ele se tornará.” SOBRE PROGREDIR OU RETROCEDER. Alguns observaram que é fácil ir para frente, mas impossível retroceder. O Sábio diz: “Não importa quão longe vamos, estamos sempre onde sempre estamos. Onde está o ir para frente ou ir para trás? O Isa Upanishad (verso 5) diz: ‘Ele está longe e também está perto’.” UTILIZAÇÃO DE PODER DIVINO PARA CURAR DOENÇAS, ETC. “Não há necessidade de ‘ingerir’ poder divino para qualquer finalidade. Já está dentro de você. Ele é você.” COMPARAÇÃO ENTRE A VIGÍLIA E O SONHO. “O mundo dos sonhos interessa ao...
Página 1 de 212
Virtual Media Design