Entradas Recentes
A Renúncia

A Renúncia

A Renúncia (do livro Pérolas de Sabedoria – Vida e ensinamentos de Ramana Maharshi)   Quando perguntado sobre como um chefe de família (grihastha) se encaixa no esquema da Libertação, Bhagavan disse: Por que você pensa que é um chefe de família? Se você se tornar um asceta (sannyasi), um pensamento similar de que você é um asceta vai assombrá-lo. Quer você continue como chefe de família ou renuncie a tal condição e vá para a floresta, sua mente vai junto com você. O ego é a fonte de todo o pensamento. Ele cria o corpo, o mundo e faz você pensar que é um homem do mundo. Se você renunciar ao mundo, o pensamento de que você é um asceta substituirá o de que você é um chefe de família, e o ambiente da floresta substituirá o da casa. Mas os obstáculos mentais ainda estarão lá. Eles inclusive aumentam em novos ambientes. Mudar de ambiente não ajuda em nada. O obstáculo é a mente. Ela deve ser superada, seja em casa ou na floresta. Se você pode fazê-lo na floresta, por que não em casa? Então, para que mudar de ambiente? Seus esforços podem ser feitos agora mesmo, qualquer que seja o ambiente em que se encontre. O ambiente jamais muda conforme o seu desejo. Se os objetos tivessem uma existência independente, isto é, se existissem em algum lugar qualquer separado de você, então seria possível afastar-se deles. Mas eles não existem separados de você; eles devem sua existência a você, a seus pensamentos. Portanto, onde você poderia ir para escapar deles? Para onde você pode ir para fugir do mundo e de seus objetos? Eles são como a sombra de um homem, da qual ele não pode...
Sofrendo seu experienciar

Sofrendo seu experienciar...

Sofrendo seu experienciar do livro Antes do Eu Sou – Diálogos com Mooji   Entregue a sua existência para a Existência e mantenha-se em silêncio. Tudo é a Graça.   Se você realmente tivesse o livre-arbítrio e o poder de moldar o seu destino, de criar a sua vida ideal, você iria, muito provavelmente, tirar todos os desconfortos, tudo que desafia o seu ego, tudo que expõe sentimentos de culpa ou vergonha ou qualquer coisa que desafiasse os seus apegos. Você excluiria tudo isso e os substituiria por momentos sabor chocolate. [Risadas] Mas por mais que você tenha se esforçado em construir uma vida segura que satisfizesse sua projeção, ainda sim sua criação não se igualaria, em qualidade e bênçãos, à vida que está se desdobrando sem intenção humana.   Certa vez um homem disse a Sri Nisargadatta: “Maharaj, as suas palavras ressoam profundas em meu coração. Eu sinto seu poder e sei que são verdadeiras. Mas se eu for bem sincero em descrever a minha experiência, teria que admitir que ao longo da minha vida eu estou continuamente experienciando o sofrimento!”. Maharaj respondeu: “Não, isto não é verdade. Você não está experienciando o sofrimento, você está sofrendo a sua experiência.”   Você pode dizer mais acerca das palavras de Nisargadatta, Mooji?   Eu vou lhe contar uma história. Estando com uma dor muito forte, um homem foi ver o médico. “Como posso ajudá-lo?” perguntou o médico. “Eu estou todo dolorido, doutor”, disse o homem. “Toda vez que eu toco aqui,” ele explicou, tocando próximo a seu coração com seu dedo, “dói! E seu eu toco aqui,” ele acrescentou, tocando seu nariz, “ai! – também dói!” O médico observava, perplexo, conforme o homem continuava. “Quando eu toco aqui,” ele...
Como afastar o samsara

Como afastar o samsara

Como afastar o samsara Excerto do Cap. III do livro Advaita Bodha Deepika, recém publicado     Embora sendo Pura Sabedoria Imutável por natureza, o Supremo Ser, quando associado à mente que muda conforme as qualidades operantes no momento, identifica-se com ela. D: Como isso pode ocorrer? M: Você vê como a água, em si, é fria e insípida. No entanto, por associação, pode ser quente, doce, amarga, azeda, etc. Da mesma forma, o Eu Real, que por natureza é Ser-Consciência-Beatitude, aparece como ego quando associado ao modo-“eu”. Assim como a água fria associada ao calor fica quente, também o Bem-aventurado Ser, unido ao modo-“eu”, torna-se o ego carregado de sofrimentos. Assim como a água, originalmente insípida, fica doce, amarga ou azeda conforme as suas associações, também o Ser de Pura Sabedoria parece imparcial, pacífico e bondoso [sattva] ou impetuoso, raivoso e ambicioso [rajas], ou ainda torpe e indolente [tamas], segundo a qualidade do modo-“isto” no momento. A escritura diz que o Ser, associado ao prana, etc., aparece respectivamente como prana, mente, intelecto, terra e outros elementos, desejo, raiva, desapaixonamento, etc. Consequentemente, associado à mente, o Ser parece ter-se transformado na alma individual, afundado no sofrimento do infindável samsara, e sendo enganado por inúmeras ilusões, como eu, tu, isto, meu, teu, etc. D: Agora que o samsara chegou ao Ser, como se pode afastá-lo? M: Com a total quietude mental, o samsara desaparecerá, causa e efeito. Do contrário, não haverá fim para o samsara, mesmo em milhões de éons. D: Não será possível livrar-se do samsara por algum outro meio além da aquietação da mente? M: Absolutamente não; nem os Vedas, nem os shastras [comentários], nem as práticas austeras, nem o karma, nem votos, nem dons, nem o recitar de...
Uma preciosidade Advaita publicada!

Uma preciosidade Advaita publicada!...

Advaita Bodha Deepika publicado   Temos o prazer de anunciar que nesta semana foi publicada a nossa tradução do Advaita Bodha Deepika, uma obra da literatura Advaita que era altamente recomendada por Sri Ramana Maharshi. O livro já se encontra à venda nas livrarias e no site da Editora Teosófica, e está saindo pelo preço promocional de R$ 20,25. Trata-se de um livro curto e direto, que expõe o caminho tradicional do Advaita Vedanta de forma clara, profunda e agradável. O lançamento do livro foi feito no dia 24/11/2012, na sede da Sociedade Teosófica em Brasília. O auditório estava totalmente lotado e o livro despertou um grande interesse. Eduardo Weaver, diretor da Editora, deu uma palestra sobre o livro, a qual foi gravada e será veiculada na TV Supren  neste domingo (02/12), às 8h e às 21h pela TV SUPREN, no canal 2 da NET, em Brasília. Este programa também poderá ser assistido no mesmo horário pela webtv, acessando o endereço www.tvsupren.com.br, clicando no ícone “ao vivo”. Confira abaixo alguns trechos aleatórios extraídos do livro. ********************** Eu Real, que por natureza é Ser-Consciência-Beatitude, aparece como ego quando associado ao modo-“eu”. Assim como a água fria associada ao calor fica quente, também o Bem-aventurado Ser, unido ao modo-“eu”, torna-se o ego carregado de sofrimentos. A Verdade Suprema é apenas Brahman não dual. Tudo mais é falso e não existe em momento algum. As escrituras amparam isso, dizendo: “Nada é criado, nem destruído; não há prisão, nem libertação; ninguém está aprisionado, nem ansiando a libertação; não há aspirante, nem praticante, e ninguém libertado. Esta é a Verdade Suprema.” Assim, a Remoção da Sobreposição consiste no conhecimento da Realidade não dual, o Ser Puro além de Maya e seus efeitos. Esta Realização é a...
A meditação do Ser

A meditação do Ser

  A Meditação do Ser Annamalai Swami   Pergunta: Pode-se ter uma experiência temporária do Eu Real, a realidade subjacente, mas então ela desaparece. Você pode dar alguma orientação em como permanecer estável naquele estado? Annamalai Swami: Uma lampião que está aceso pode apagar se o vento estiver forte. Se você quiser vê-lo novamente, você tem que reacendê-lo. Mas o Ser não é assim. Ele não é uma chama que pode ser apagada pela passagem dos ventos dos pensamentos e desejos. Ele é sempre luminoso, sempre brilhante, está sempre lá. Se você não está consciente dele, isso significa que você colocou uma cortina ou um véu na frente dele que bloqueia sua visão. O Ser não oculta a si mesmo atrás de uma cortina. É você que coloca a cortina lá ao acreditar em ideias que não são verdadeiras. Se a cortina se abre e então se fecha novamente, isso que dizer que você ainda está acreditando em ideias erradas. Se você erradicou-as completamente, elas não reaparecerão. Enquanto essas ideias estiverem cobrindo o Eu Real, você ainda precisa fazer constante sadhana. Então, voltando à sua questão, o Eu Real não precisa estabilizar-se. Ele é pleno e completo em si mesmo. É a mente pode ser estabilizada ou desestabilizada, não o Ser. Pergunta: Por constante sadhana, você quer dizer autoinquirição? Annamalai Swami: Sim. Pela força da prática, ao fazer esta sadhana, esse véu será completamente removido. Não haverá outros obstáculos. Você pode ir ao topo de Arunachala, mas se você não estiver alerta, se não estiver prestando atenção, você pode escorregar e ir parar no Easanya Math [uma instituição hindu ao pé da montanha]. Você tem que fazer um esforço enorme para realizar o Ser. É muito fácil parar no...
Permaneça com seu Ser – Parte IV

Permaneça com seu Ser – Parte IV...

Permaneça com seu Ser Parte IV Este é o quarto e último post da série Permaneça com seu Ser. Veja o primeiro, segundo e terceiro. ************************************************************************ Pergunta: Consigo rejeitar apenas verbalmente. No máximo lembro-me de repetir a fórmula: “Isto não sou eu, isto não é meu. Estou além de tudo isto.” Nisargadatta: É bom o bastante. Primeiro verbalmente, então mental e emocionalmente, e depois na ação. Dê atenção à realidade dentro de você e ela virá à tona. É como bater manteiga. Faça-o corretamente e constantemente e o resultado com certeza virá.   É mais fácil mudar que sofrer. Saia de sua infantilidade, isto é tudo.   Infantilidade é agarrar-se aos brinquedos, aos seus desejos e temores, opiniões e idéias. Desista de tudo isto e esteja pronto para que o real afirme a si mesmo. Esta autoafirmação é melhor expressa pelas palavras: “Eu Sou”.   Até agora você se considerou como sendo o mutável e ignorou o imutável. Vire sua mente ao avesso. Desconsidere o mutável e se verá como a sempre presente, imutável realidade, inexpressível mas sólida como uma rocha.   Você é consciente. Segure-se nisso.   O que eu digo é verdade, mas para você é apenas uma teoria. Como você saberá que isto é verdade? Ouça, lembre-se, pondere, visualize, experiencie. Também aplique na sua vida diária. Tenha paciência comigo e, acima de tudo, com você mesmo, pois você é seu único obstáculo.   Parece que você quer uma compreensão instantânea, e esquece que o instantâneo é sempre precedido por uma longa preparação. A fruta cai de repente, mas o amadurecimento leva tempo.   Afinal, o que estou lhe oferecendo é a abordagem operacional, tão comum na ciência ocidental. Quando um cientista descreve um experimento e seus resultados, normalmente você...
Maha Yoga – Parte V

Maha Yoga – Parte V...

A Maha Yoga de Sri Ramana Parte V Os trechos a seguir foram retirados do Capítulo XII do livro Maha Yoga, que já foi traduzido pelo Prof. Hermógenes e publicado no Brazil na década de 1950. Fizemos uma nova tradução do texto e há possibilidade de publicação neste ano (2011). Os trechos abaixo são provenientes da nova tradução. Em negrito são os subtítulos colocados pelo autor (K. Lakshmana Sarma) e, entre aspas (e em itálico), os ensinamentos do Maharshi. Esta é a parte final da série “A Maha Yoga de Sri Ramana”. *************************************************************************   RESPOSTA A UM PRAGMATISTA: Pergunta: “Se todos os homens renunciarem o mundo, quem lavrará a terra e fará a colheita?” Resposta: “Realize o Ser Verdadeiro e então verá por si mesmo.” Essa é uma resposta geral para todas as questões semelhantes a esta. SENSAÇÃO DE DIFICULDADE. “Um método nos parecerá fácil ou difícil, conforme o tenhamos praticado antes ou não.” AOS NIVELADORES. “A forma mais segura de se atingir a perfeita igualdade é ir dormir!”[1] CONTROLE DE NASCIMENTO VERSUS MORALIDADE. Pergunta: “O controle de nascimento é nocivo à moralidade?[2]” Resposta: “O Maha Bharata diz que quanto mais se cede ao desejo, mais insaciável ele se tornará.” SOBRE PROGREDIR OU RETROCEDER. Alguns observaram que é fácil ir para frente, mas impossível retroceder. O Sábio diz: “Não importa quão longe vamos, estamos sempre onde sempre estamos. Onde está o ir para frente ou ir para trás? O Isa Upanishad (verso 5) diz: ‘Ele está longe e também está perto’.” UTILIZAÇÃO DE PODER DIVINO PARA CURAR DOENÇAS, ETC. “Não há necessidade de ‘ingerir’ poder divino para qualquer finalidade. Já está dentro de você. Ele é você.” COMPARAÇÃO ENTRE A VIGÍLIA E O SONHO. “O mundo dos sonhos interessa ao...
Permaneça com seu Ser – Parte III

Permaneça com seu Ser – Parte III...

Permaneça com seu Ser Parte III Este é o terceiro post da série Permaneça com seu Ser. Veja o primeiro e segundo. ************************************************************************ Não é a adoração de uma pessoa (guru) que é o crucial, mas a seriedade e profundidade de sua devoção à tarefa. Lembre-se, indague, pondere, viva-a,  ame-a, cresça nela, faça-a sua – a palavra de seu Guru, externo ou interno. Traga tudo para dentro e você conquistará tudo. Eu fazia isso. Todo o meu tempo era devotado ao meu Guru e ao que ele me disse. Quando você está interessado na verdade, na realidade, deve questionar tudo, mesmo a sua própria vida. Ter sempre seu Guru no coração e lembrar-se de suas instruções – isto é ser fiel à verdade. A ilusão de ser corpo-mente está aí apenas porque não é investigada. A não investigação é a fina linha sobre a qual todos os estados da mente são alinhavados. Todos os estados da mente, todos os nomes e formas da existência têm suas raízes na não inquirição, na não investigação, na imaginação e na credulidade. Quando estamos absorvidos em outras coisas, no não-Ser, esquecemos do Ser. Sadhana (prática) consiste em lembrar a si mesmo obrigatoriamente da própria pura existência, de não ser nada em particular, nem uma soma de particulares, nem mesmo a totalidade dos particulares que formam o universo. Apego é escravidão, desapego é liberdade. Necessitar é escravizar-se. Aquele estado imóvel, que não é afetado pelo nascimento e morte de um corpo ou de uma mente – aquele estado você deve perceber. Deixe de lado seus desejos e medos, dê sua total atenção ao sujeito, aquele que está por trás da experiência do desejo e do medo. Pergunte: Quem deseja? Deixa cada desejo levá-lo de volta a...
Maha Yoga – Parte IV

Maha Yoga – Parte IV...

  A Maha Yoga de Sri Ramana Parte IV Os trechos a seguir foram retirados do Capítulo XII do livro Maha Yoga, que já foi traduzido pelo Prof. Hermógenes e publicado no Brazil na década de 1950. Fizemos uma nova tradução do texto e há possibilidade de publicação neste ano (2011). Os trechos abaixo são provenientes da nova tradução. Em negrito são os subtítulos colocados pelo autor (K. Lakshmana Sarma) e, entre aspas (e em itálico), os ensinamentos do Maharshi. *************************************************************************   DEVEMOS CONDENAR O DVAITA? “Dvaita[1] consiste em (erroneamente) identificar o Ser como o não ser. Advaita é deixar de fazer isso.”   HEROÍSMO. “Quando o eu surge, torna-se ele mesmo o sujeito e o objeto. Quando o eu não surge (enquanto ego) não há sujeito nem objeto. Para o discípulo maduro, nada mais precisa ser dito. Sabendo isso, ele volta sua mente para o interior, afastando-a de tudo que é externo. Para poder fazê-lo, deve-se ser um herói (Dhira). Mas, que heroísmo é necessário para encontrar a Si mesmo? ‘Dhi’ significa mente e ‘ra’ quer dizer evitar que as energias mentais se desgastem em correntes de pensamentos. Quem pode deter o fluxo dos pensamentos e voltar a mente para o seu íntimo é um Dhira.”   AUMENTO DE CONHECIMENTO RELATIVO. Quando alguém quis saber sobre suas vidas passadas, o Sábio disse: “Mesmo com o conhecimento da vida presente você não é feliz. O conhecimento de suas vidas passadas só aumentará sua infelicidade. Todo esse conhecimento é apenas uma carga para a mente.”   O SER É A TESTEMUNHA? “A ideia do Ser como uma Testemunha está na mente. Pode ser útil para auxiliar a aquietar a agitação mental, mas não é a Verdade absoluta do Ser. A testemunha...
Página 5 de 16« Primeira...34567...10...Última »
Comentários Recentes
  • Waldir Souza Guimarães: Gostaria de baixar a obra em PDF. Qual o caminho? Aguardo. ...
  • Mokas: Moro em Portugal, como posso adquirir? Obrigado e continuem...
  • eliane: ola gostaria de saber o preço desse livro me interessei muit...
Virtual Media Design