Lançamento – Momentos com Nisargadatta Maharaj – Entrevista com David Godman

Lançamento – Momentos com Nisargadatta Maharaj – Entrevista com David Godman...

É com prazer que anunciamos mais um lançamento da Satsang Editora. Trata-se do livro Momentos com Nisargadatta Maharaj – Entrevista com David Godman (Remembering Nisargadatta Maharaj). Neste livro David Godman compartilha suas memórias do tempo que passou com Maharaj, inclusive muitas histórias extraordinárias. Como Nisargadatta raramente falava sobre si mesmo e sua vida, e não encorajava perguntas a esse respeito, este livro representa um material raro. Informações e vendas na Loja Virtual da...
O Senso de “Eu sou” –  Capítulo I do Livro EU SOU AQUILO – Conversas com Sri Nisargadatta Maharaj

O Senso de “Eu sou” – Capítulo I do Livro EU SOU AQUILO – Conversas com Sri Nisargadatta Maharaj...

Capítulo I do Livro EU SOU AQUILO – Conversas com Sri Nisargadatta Maharaj  Tradução: Patricia de Queiroz Carvalho Zimbres SatsangEditora – 1ª Edição – 2016 http://www.satsangeditora.com.br/ O Senso de “Eu sou” Pergunta – Sabemos, por experiência cotidiana que, ao acordarmos, o mundo de repente aparece. De onde vem ele? Maharaj – Antes que algo possa vir a existir, tem que haver alguém a quem esse algo venha. Toda aparição e desaparição pressupõe uma mudança que acontece sobre um fundo imutável. P – Antes de acordar, eu estava inconsciente. M – Em que sentido? No de ter esquecido ou no de não ter tido a experiência? Você não experiencia mesmo quando inconsciente? Você pode existir sem conhecer? Um lapso de memória é prova de não-existência? E seria válido falar de sua própria não-existência como uma experiência real? Você não pode sequer dizer que sua mente não existia. Você não acordou ao ser chamado? E, ao acordar, não foi o senso de “eu sou” o que veio primeiro? Alguma semente de consciência tem que existir, mesmo durante o sono ou o desmaio. Ao acordar, a experiência acontece como “eu sou – o corpo – no mundo”. Pode parecer que essas percepções ocorram em sucessão, mas, na verdade, é tudo simultâneo, uma única ideia de ter um corpo num mundo. Não poderia haver um senso de “eu sou” sem que eu seja alguém ou alguma coisa? P – Sou sempre alguém com lembranças e hábitos. Não conheço outro “eu sou”. M – Não haveria alguma coisa impedindo que você conheça? Quando você não conhece algo que outros conhecem, o que você faz? P – Procuro a fonte desse conhecimento sob a orientação dessas pessoas? M – Não é importante para você saber se é meramente...
Permaneça com seu Ser – Parte IV

Permaneça com seu Ser – Parte IV...

Permaneça com seu Ser Parte IV Este é o quarto e último post da série Permaneça com seu Ser. Veja o primeiro, segundo e terceiro. ************************************************************************ Pergunta: Consigo rejeitar apenas verbalmente. No máximo lembro-me de repetir a fórmula: “Isto não sou eu, isto não é meu. Estou além de tudo isto.” Nisargadatta: É bom o bastante. Primeiro verbalmente, então mental e emocionalmente, e depois na ação. Dê atenção à realidade dentro de você e ela virá à tona. É como bater manteiga. Faça-o corretamente e constantemente e o resultado com certeza virá.   É mais fácil mudar que sofrer. Saia de sua infantilidade, isto é tudo.   Infantilidade é agarrar-se aos brinquedos, aos seus desejos e temores, opiniões e idéias. Desista de tudo isto e esteja pronto para que o real afirme a si mesmo. Esta autoafirmação é melhor expressa pelas palavras: “Eu Sou”.   Até agora você se considerou como sendo o mutável e ignorou o imutável. Vire sua mente ao avesso. Desconsidere o mutável e se verá como a sempre presente, imutável realidade, inexpressível mas sólida como uma rocha.   Você é consciente. Segure-se nisso.   O que eu digo é verdade, mas para você é apenas uma teoria. Como você saberá que isto é verdade? Ouça, lembre-se, pondere, visualize, experiencie. Também aplique na sua vida diária. Tenha paciência comigo e, acima de tudo, com você mesmo, pois você é seu único obstáculo.   Parece que você quer uma compreensão instantânea, e esquece que o instantâneo é sempre precedido por uma longa preparação. A fruta cai de repente, mas o amadurecimento leva tempo.   Afinal, o que estou lhe oferecendo é a abordagem operacional, tão comum na ciência ocidental. Quando um cientista descreve um experimento e seus resultados, normalmente você...
Permaneça com seu Ser – Parte III

Permaneça com seu Ser – Parte III...

Permaneça com seu Ser Parte III Este é o terceiro post da série Permaneça com seu Ser. Veja o primeiro e segundo. ************************************************************************ Não é a adoração de uma pessoa (guru) que é o crucial, mas a seriedade e profundidade de sua devoção à tarefa. Lembre-se, indague, pondere, viva-a,  ame-a, cresça nela, faça-a sua – a palavra de seu Guru, externo ou interno. Traga tudo para dentro e você conquistará tudo. Eu fazia isso. Todo o meu tempo era devotado ao meu Guru e ao que ele me disse. Quando você está interessado na verdade, na realidade, deve questionar tudo, mesmo a sua própria vida. Ter sempre seu Guru no coração e lembrar-se de suas instruções – isto é ser fiel à verdade. A ilusão de ser corpo-mente está aí apenas porque não é investigada. A não investigação é a fina linha sobre a qual todos os estados da mente são alinhavados. Todos os estados da mente, todos os nomes e formas da existência têm suas raízes na não inquirição, na não investigação, na imaginação e na credulidade. Quando estamos absorvidos em outras coisas, no não-Ser, esquecemos do Ser. Sadhana (prática) consiste em lembrar a si mesmo obrigatoriamente da própria pura existência, de não ser nada em particular, nem uma soma de particulares, nem mesmo a totalidade dos particulares que formam o universo. Apego é escravidão, desapego é liberdade. Necessitar é escravizar-se. Aquele estado imóvel, que não é afetado pelo nascimento e morte de um corpo ou de uma mente – aquele estado você deve perceber. Deixe de lado seus desejos e medos, dê sua total atenção ao sujeito, aquele que está por trás da experiência do desejo e do medo. Pergunte: Quem deseja? Deixa cada desejo levá-lo de volta a...
Navnath Sampradaya

Navnath Sampradaya

Texto sobre a linhagem Navnath Sampradaya, de Sri Nisargadatta Maharaj e Ranjit Maharaj. Open publication – Free publishing – More autoinquiricao Para baixar este texto, clique...
Entrevista com David Godman

Entrevista com David Godman...

Entrevista com David Godman David Godman – autor de diversos livros sobre Bhagavan e seus discípulos – conta sua história de busca espiritual na Índia e encontro com Ramana Maharshi, Papaji, Nisargadatta Maharaj, Lakshmana Swamy e Saradamma. Um relato recheado de ensinamentos e detalhes interessantes. [Trecho:] DG: Quando a ausência de ego acontece, não há ninguém que possa se estabilizar ou perder a experiência. Essas experiências surgem e desaparecem. Elas aparecem porque as vasanas [tendências latentes] da mente reafirmam a si mesmas. Quando elas surgem e tomam conta, você retoma a prática novamente. Esta é a prescrição clássica do Gita, e é também o que Ramana ensinou. Permaneça desperto, permaneça atento, e quando você pegar a mente se distraindo, traga-a de volta para a sua fonte. Open publication – Free publishing – More yoga Para fazer download desse texto, clique...
Página 1 de 3123
Virtual Media Design