Trecho do Livro “Nada é Tudo” – Sri Nisargadatta Maharaj

Trecho do Livro “Nada é Tudo” – Sri Nisargadatta Maharaj...

ENCONTRE A FONTE DO “EU SOU” – 7 de dezembro de 1979 (Trecho do livro “Nada é Tudo – A Quintessência dos Ensinamentos de Sri Nisargadatta Maharaj”, publicado pela Satsang Editora – 2016) Visitante: Qual é a causa da ignorância? Maharaj: O conhecimento “você é” é o único conhecimento confiável. Mas o homem tem o hábito de coletar conhecimento de cada fonte e carregar o fardo na cabeça. Ele é informado sobre o nascimento e o renascimento. Embora o nascimento não seja sua própria experiência, ele a assume como verdadeira. O conhecimento humano é cheio de conceitos e de imaginação. V: E a lei do karma? Isto é, temos que sofrer na vida seguinte os efeitos do que fazemos nesta vida. M: Já que você se considera seu corpo, a lei do karma o afeta. Você até tenta se beneficiar dela. Quando você conhece seu Eu Real como tal, a lei não o afeta. V: A lei do karma nos assusta. M: Nosso senso de ser é a qualidade da quinta essência da comida e a forma do material alimentar é assumida por nós como nossa forma. A natureza Eterna não tem senso de ser. Quando o alento vital sai do corpo, este se torna inerte. É como uma chama que se extingue. Será que a chama vai para algum lugar? Quando o corpo cai, não vai a lugar nenhum. No suposto nascimento não há vinda de lugar nenhum. O Eu Real está em todo lugar. Ele não deixa nenhum espaço para viajar até lá. Quando falo, não falo de nenhum indivíduo específico. Falo da natureza da consciência. O ciclo de criação, sustentação e dissolução continua imperturbado. Nenhum mahatma ou encarnação como Ram ou Krishna podem parar o ciclo. Falo de encarnação. O que havia antes de chamar alguém de encarnado? O que levou a uma pessoa comum mudar para encarnada? Você nunca pensa no que era antes do...
O CONHECIMENTO DE QUE “VOCÊ É” CRIA SEU MUNDO por Sri Nisargadatta Maharaj

O CONHECIMENTO DE QUE “VOCÊ É” CRIA SEU MUNDO por Sri Nisargadatta Maharaj...

O CONHECIMENTO DE QUE “VOCÊ É” CRIA SEU MUNDO (Trecho do livro “Além da Liberdade: Palestras com Sri Nisargadatta Maharaj, publicado pela Satsang Editora)   Maharaj: Você lembra do que falamos hoje de manhã? Visitante: Sim, você está me levando ao ponto de percepção. M: Nem esta ideia, nem este conceito estão certos. Assim como a doçura do açúcar está bem ali, em cada grão, o conhecimento do estado “Eu Sou” em você contém o universo inteiro. Não estou explanando este conhecimento em benefício de um ser humano envolvido com a mente-corpo, ele está sendo explanado para o estado de Divindade dentro de você. V: Há comunicação em dois níveis? M: Quando você veio aqui pela primeira vez, estava envolvido com a mente-corpo e a palestra foi então naquele nível. Agora estou explanando em relação a seu estado de Ser, o estado “Eu Sou” que, tendo criado o universo, habita em você como um resquício. O próprio cerne do conhecimento “Você é” contém o universo inteiro. Como exemplo, no mundo onírico o conhecimento “Você é” tem que estar lá, antes que o mundo onírico seja criado. Da mesma forma, o conhecimento “Você é” tem que estar lá para este mundo seu. O conhecimento de que “Você é” cria seu mundo. V: Não entendo a tradução. É como se houvesse música na sala e eu fosse surdo e não conseguisse ouvir a música. M: O surdo não deveria escutar música (risadas). Você é como uma pessoa que continua procurando a si mesma em cada canto e recanto da sala. Você procura uma coisa que já está dentro de você. Não conseguirá encontrar a Verdade Suprema procurando lá fora. V: É como se você estivesse batendo na minha cabeça para me ajudar a lembrar....
A importância da prática constante

A importância da prática constante...

A importância da prática constante  (trecho do Capítulo X do livro “Os Ensinamentos Finais de Annamalai Swami”, de David Godman)     O livro “Os Ensinamentos Finais de Annamalai Swami”, de David Godman, reúne os ensinamentos desse que é considerando um dos principais discípulos do grande sábio indiano Sri Ramana Maharshi (1879-1950), tendo vivido com ele e aprendido dele por vários anos, finalmente alcançando a realização suprema. O livro já conta com edição em português e os detalhes da publicação podem ser encontrados neste post.  Para adquirir um exemplar acesse nossa loja virtual ou clique aqui para comprar o livro em formato e-book AmazonKindle.    Pergunta: Eu tenho tido pequenos vislumbres, especialmente durante o sono, de não ter pensamentos. Têm acontecido outros vislumbres nos lugares mais improváveis. Em Lucknow, que é uma cidade grande e agitada, com pessoas gritando e berrando por todo o lado, eu estava descendo de bicicleta uma rua movimentada quando repentinamente senti a paz do Ser, que era subjacente a tudo. Eu pude sentir o Ser, ou pelo menos foi uma experiência que eu pensei que deve ter sido do Ser. Havia uma imobilidade e um silêncio no meio dessas condições totalmente caóticas. Em outros momentos o pêndulo oscila para o outro lado e eu me sinto completamente perdido em meu mundo mental, e no mundo caótico exterior. Eu me sinto um pouco confuso sobre o processo e a técnica da autoinquirição, a tal ponto que eu preciso voltar e ler os ensinamentos de Ramana sobre o assunto repetidamente até que a confusão me deixe. Eu gostaria de ouvir os comentários do Swami sobre isso. Eu sei que não há nada novo que ele possa dizer sobre o assunto. Eu sei que tenho que continuar com...
A Irrealidade do Mundo

A Irrealidade do Mundo

A Irrealidade do Mundo (trechos do Capítulo III – The Jnani and The World, do livro Maharshi’s Gospel – The Teachings of Sri Ramana Maharshi )   Ao ver o mundo, o jnani (iluminado) vê o Ser que é o substrato de tudo que é visto; o ajani (não-iluminado) é ignorante de seu verdadeiro Ser. Tome como exemplo os filmes numa tela de cinema. O que está diante de você antes do filme começar? Simplesmente a tela. Sobre essa tela você vê o filme inteiro, e para todos os efeitos as imagens parecem bem reais. Mas tente pegá-las. O que você pega? Unicamente a tela sobre a qual as imagens apareciam como reais. Ao final do filme, quando as imagens desaparecem, o que permanece? A tela novamente! Assim acontece com o Ser. Somente Ele existe; as imagens vêm e vão. Se você agarrar-se ao Ser, não será enganado pelo aparecimento das imagens. E nem tem nenhuma importância se as imagens aparecem ou desaparecem. Ignorando o Ser, o ajnani pensa que o mundo é real, da mesma forma que ao ignorar a tela de cinema ele vê unicamente as imagens, como se elas existissem separadas dela. Se percebermos que sem aquele que vê não há nada a ser visto, assim como não há imagens sem a tela de cinema, não seremos iludidos. O jnani sabe que a tela, as imagens e a visão deles são apenas o Ser. Com as imagens, o Ser está em sua forma manifesta; sem as imagens Ele permanece na forma não manifesta. Para o jnani é totalmente irrelevante se o Ser está em uma forma ou outra. Ele é sempre o Ser. P.: A princípio é fácil aceitar que o mundo não é real, mas...
A CANÇÃO DO AVADHUTA

A CANÇÃO DO AVADHUTA

A CANÇÃO DO AVADHUTA (O Ensinamento Sobre a Sabedoria do Ser) Por Dattatreya  (com transliteração sânscrita)   O Avadhuta Gita é um texto clássico da espiritualidade não dual, o Advaita Vedanta. Nesses versos, Dattatreya expressa a verdade suprema a partir de sua própria realização. Não se trata de um manual, ou tratado filosófico, mas sim de um poema inspiracional altamente estimado por yogis e aspirantes ao longo dos séculos. As palavras do Avadhuta cortam fora todas as ilusões da mente e penetram diretamente o coração, dando-nos um sabor autêntico – embora transitório – da sua Consciência transcendental. Os trechos a seguir fazer parte do Capítulo I – Prathamodhyayah (O Ensinamento Sobre a Sabedoria do Ser) desse clássico, considerado como um dos mais eloquentes e envolventes tratados da literatura indiana antiga, e cuja tradução em português foi publicada recentemente pela Satsang Editora  e está à venda na nossa Loja Virtual e na Amazon.   1. ishvaranugrahad-eva pumsam advaita vasana mahadbhaya paritranat vipranam upajayate   Verdadeiramente, é pela graça de Deus Que o conhecimento de Unidade surge dentro. Então o homem é por fim libertado Do medo profundo da vida e da morte.   2. yenedam puritam sarvam atmanaivatman atmani nirakaram katham vande hyabhinnam shivam avyayam   Tudo o que existe neste mundo das formas Não é mais do que o Ser, e apenas o Ser. Como, pois, deve o Infinito venerar Si mesmo? Shiva é o Todo indiviso.   3. panchabhutatmakam vishvam marichi-jala sannibham kasyapyaho namas-kuryam aham eko niranjanah   Os cinco elementos sutis que se combinam para formar este mundo São tão ilusórios como a água em uma miragem do deserto; A quem, pois, devo curvar minha cabeça? Eu mesmo sou o Imaculado!   4. atmaiva kevalam sarvam bhedabhedo na vidyate...
Lançamento do DVD “O Satsang Perdido – Sri Nisargadatta Maharaj” em Português

Lançamento do DVD “O Satsang Perdido – Sri Nisargadatta Maharaj” em Português...

  CLIQUE NA IMAGEM ABAIXO PARA AMPLIAR   Alguns trechos extraídos do DVD: Toda a manifestação deste mundo é uma expressão da mesma Consciência que você é. *** Você não devia amar nada mais do que a sua verdadeira natureza, a Consciência. *** Sua identificação com o corpo é atraída para os objetos. Isso cria desejos, e você os trata como prioridade máxima. *** Seus desejos físicos não o levam a lugar nenhum. *** Se você não compreende o “eu sou” como é que pode compreender o resto? *** Residir na Consciência é a verdadeira religião. As religiões são criações dos intelectos humanos. *** A Consciência tem que aparecer nesta forma, para que esta forma possa reconhecer a Consciência. *** Como podem as palavras explicar aquilo do qual elas se originam? *** Tudo depende da sua forma, mas você  é sem forma. *** Não me faça perguntas práticas. Não tenho nada a ver com elas. *** Sem comida existe a morte e a ideia do “eu sou” desaparece. A Consciência está além de qualquer ideia. *** Você só pode observar os eventos acontecerem. Você não pode usar a Consciência para fazer ou desfazer nada. *** A sua identificação com o corpo é como um parafuso muito apertado. A sua ideia de ser um individuo, é um parafuso. Você tem que soltá-lo. *** Você está cheio de conceitos. A sua chegada a este mundo também é um conceito. *** Se você deseja usar o seu intelecto, resida nos seus nove meses no útero. O que aconteceu no útero não é diferente do que acontece agora. *** Você deve desejar aquele você que não deseja desejos *** Qualquer coisa que possa lhe mostrar aquilo que você é, está na realidade apontando para...
Página 1 de 912345...Última »
Virtual Media Design