O Livro “A Canção do Avadhuta” está agora disponível!...

É com prazer que anunciamos que o livro A Canção do Avadhuta está agora disponível em português. É uma obra clássica que transmite a Realização não dual. A tradução desta obra foi de iniciativa de Margarida Maria Antunes, que atuou comigo como co-tradutora. Agradecimentos também a: Ricardo Pereira Ensho, pela  revisão do texto e  sugestões gráficas; e, claro, à alma caridosa (que prefere manter-se anônima), que patrocionou a publicação. É o mesmo buscador que trouxe ao público brasileiro o Maha Yoga e Ensinamentos Finais de Annamalai Swami. Clique no cartaz para ampliar   Descrição:  O Avadhuta Gita é um texto clássico da espiritualidade não dual, Advaita Vedanta. Nesses versos, Dattatreya expressa a verdade suprema a partir de sua própria realização. Não se trata de um manual, ou tratado filosófico, mas sim de um poema inspiracional altamente estimado por yogis e aspirantes ao longo dos séculos. As palavras do Avadhuta cortam fora todas as ilusões da mente e penetram diretamente o coração, dando-nos um sabor autêntico da sua Consciência transcendental.” Clique aqui e leia sobre a Linhagem Navnath Sampradaya, iniciada por Sri Dattatreya e da qual faziam parte Sri Siddharameshwar Maharaj, Sri Nisargadatta Maharaj, Sri Ranjit Maharaj entre outros grandes Mestres da não dualidade. Clique aqui para ler um trecho do livro. Valor: R$ 35,00 Autor do original em inglês: Swami Abhayananda Tradução: Niraj & Margarida Maria Antunes 1º Edição -2015 ISBN 978-85-8219-277-1 Tamanho: 14 x 21 cm Idioma: Português Páginas: 154 Vendas pela nossa Loja Virtual. Também disponível no formato e-book AmazonKindle. Cadastre seu e-mail em nossos sites pra receber nossas newsletters www.satsangeditora.com.br e www.advaita.com.br Curta nossa página no Facebook, siga-nos no Instagram e confira nosso canal no YouTube. Namastê _/\_ Este é um vídeo do Mooji lendo trechos deste livro, com legendas em português:   Outros vídeos aqui...
A Consciência e o Absoluto

A Consciência e o Absoluto...

A Consciência e o Absoluto   (diálogos extraídos do livro “Consciousness and The Absolute – The Final Talks of Sri Nisargadatta Maharaj”, edited by Jean Dunn)     Visitante: Por que pensamos em nós mesmos como indivíduos separados? Maharaj: Seus pensamentos sobre individualidade não são, na realidade, seus próprios pensamentos; eles são todos pensamentos coletivos. Você acha que é você quem tem os pensamentos; na verdade os pensamentos surgem na consciência. À medida que cresce nosso conhecimento espiritual, nossa identificação com um corpo-mente diminui e nossa consciência se expande para a consciência universal. A força da vida continua a atuar, mas seus pensamentos e ações não ficam mais limitados a um indivíduo. Eles se tornam a manifestação total. É como a ação do vento – o vento não sopra para qualquer indivíduo em particular, mas para a manifestação como um todo. V.: Como um indivíduo, podemos retornar para a fonte? M.: Como um indivíduo não; o conhecimento “eu sou” deve voltar para sua própria fonte. Agora, a consciência está identificada com uma forma. Mais tarde ela compreende que não é essa forma e segue adiante. Em uns poucos casos ela pode alcançar o espaço e, com frequência, para por aí. Em muitos poucos casos, ela alcança sua fonte verdadeira, além de todo o condicionamento. É difícil abandonar essa tendência de identificar o corpo como o eu. Eu não estou falando para um indivíduo, estou falando para a consciência. É a consciência que deve buscar sua fonte. Do estado de não-ser surge o sentimento de existência. Ele surge tão silenciosamente quanto o crepúsculo, com apenas uma sensação de “eu sou” e, de repente, o espaço está lá. No espaço, o movimento começa com o ar, o fogo, a água e...
Virtual Media Design