Novos vídeos do Mooji, com legenda

Novos vídeos do Mooji, com legenda...

Este domingo foi feito o upload de legendas em português em 17 vídeos do Mooji no YouTube. Todos estão incluídos na lista de reprodução Vídeos com legenda em português do canal moojiportuguese no YouTube. Abaixo você pode ver os títulos novos e os links para os vídeos. Para mais informações sobre vídeos do Mooji, clique aqui. Se você sabe fazer edições de vídeos e gostaria de fazer seva, ajudando a criar novos clips para o YouTube, mande-nos um email. Nota: para ativar as legendas, clicar (no caso do filme abaixo), na setinha ao lado de “360p”. Nos demais casos, clicar no botão “cc”, abaixo do vídeo: ****************************************************************************** ****************************************************************************** Instruções Diretas (Direct instructions) http://www.youtube.com/watch?v=3tB-p9WeRB4 O Buda que ri (Laughing Buddha) http://www.youtube.com/watch?v=DfvgvDkdG2M Silêncio é o seu nome (Silence is your name) http://www.youtube.com/watch?v=fB5s8-T0wR8 O Ser não é um acontecimento (The Self is not an event) http://www.youtube.com/watch?v=o-BvLEUIhlw&playnext=1&list=PL0FE753F7FA228CD3&index=17 Você deve ser claro e honesto (You must be clear and honest) http://www.youtube.com/watch?v=D1VeLa79bjo Sem pernoites (No Sleepovers) http://www.youtube.com/watch?v=SKcuo0pkQ3Y Por que não nós? (Why not us?) http://www.youtube.com/watch?v=wPVw8dE9U2g Deus vê apenas Deus (God sees only God) http://www.youtube.com/watch?v=FpP7WNxap98 Detonador para o ego (Detonator for the ego) http://www.youtube.com/watch?v=-rfl-uwrmgo O espelho da inquirição (The mirror of enquiry) http://www.youtube.com/watch?v=DAg13DfIGK4 Porta do Absoluto 1 (Door of the Absolute 1) http://www.youtube.com/watch?v=cflwDmUtVKg Porta do Absoluto 2 (Door of the Absolute 2) http://www.youtube.com/watch?v=lnCyhhnF50Y Ninguém quer que você seja livre (Nobody wants you to be free) http://www.youtube.com/watch?v=4xTKhpty07I Fora alguém, dentro… (Outwardly somebody, inwardly…) http://www.youtube.com/watch?v=QGpJ-IVLyzo Verdade é Liberdade (Truth is Freedom) http://www.youtube.com/watch?v=xf6G6R0b9pA Café Turco (Turkish Coffee) http://www.youtube.com/watch?v=4nDdB00QyJ8 Intocável (Untouchable)...
Se você vê escuridão… – Papaji

Se você vê escuridão… – Papaji...

Se você vê escuridão… Papaji Quando Papaji estava em Nova Iorque, em 1986, um homem que tinha muitos problemas psicológicos veio visitar o mestre. Depois de uma longa ladainha de reclamações de parte do visitante, Papaji disse: Se você vê escuridão, você mesmo deve ser a luz. A escuridão não pode existir sem luz. O sujeito que vê deve ser diferente do objeto que é visto. Se  escuridão é o objeto, então você mesmo deve ser a luz. Ao ouvir essas palavras, o visitante foi tomado por uma tremenda experiência. [Retirado da biografia do Papaji Nothing Ever Happened, Vol. III, p. 76-8] ******************************** No mesmo sentido é o seguinte techo do livro The Truth Is: Você deve ser luz para ver a escuridão. Você não pode ver escuridão sendo escuridão. Você é o observador da escuridão e a escuridão é o objeto – você é o sujeito. Quando você dá as costas à luz você vê apenas sua sombra, a escuridão. Volte-se para a luz e você verá apenas a luz, e não a sua sombra. Dê as costas à escuridão e volte-se para a luz. A escolha é sua. Se você vê a ilusão, você é Iluminado; mas se você pensa que é iluminado, você está na ilusão! [Risos]. Então descubra que é que vê a escuridão. Quem vê a escuridão? Para quem a escuridão é um objeto sendo visto? Descubra agora. Você deve permanecer em Silêncio para descobrir isso; e não fazer esforços. Mantenha-se imóvel. Então não existirá mais escuridão. Nem mesmo movimento um pensamento acerca da escuridão, na sua...
Entrevista com David Godman

Entrevista com David Godman...

Entrevista com David Godman David Godman – autor de diversos livros sobre Bhagavan e seus discípulos – conta sua história de busca espiritual na Índia e encontro com Ramana Maharshi, Papaji, Nisargadatta Maharaj, Lakshmana Swamy e Saradamma. Um relato recheado de ensinamentos e detalhes interessantes. [Trecho:] DG: Quando a ausência de ego acontece, não há ninguém que possa se estabilizar ou perder a experiência. Essas experiências surgem e desaparecem. Elas aparecem porque as vasanas [tendências latentes] da mente reafirmam a si mesmas. Quando elas surgem e tomam conta, você retoma a prática novamente. Esta é a prescrição clássica do Gita, e é também o que Ramana ensinou. Permaneça desperto, permaneça atento, e quando você pegar a mente se distraindo, traga-a de volta para a sua fonte. Open publication – Free publishing – More yoga Para fazer download desse texto, clique...
Esquecer tudo é o meio supremo

Esquecer tudo é o meio supremo...

  Esquecer tudo é o meio supremo M: Sábio filho, abandone a mente – o atributo limitador que origina a individualidade, assim causando a grande enfermidade de repetidos nascimentos e mortes – e realize Brahman. D: Mestre, como se pode extinguir a mente? Não é muito difícil? Não é a mente muito vigorosa, inquieta e sempre vacilante? Como se pode renunciar à mente? M: Abandonar a mente é muito fácil, tão fácil quanto amassar uma flor delicada, tirar um fio de cabelo da manteiga ou piscar os olhos. Não tenha dúvida. Para um buscador resoluto, senhor de si e não enfeitiçado pelos sentidos, que pelo intenso desapaixonamento se tornou indiferente aos objetos externos, não pode haver a menor dificuldade em abandonar a mente. D: Como pode ser tão fácil? M: A questão da dificuldade só surge quando há uma mente a ser renunciada. Verdadeiramente falando, não existe mente. Quando lhe dizem: “Aqui tem um fantasma”, a criança ignorante é levada a acreditar na existência do fantasma inexistente, ficando sujeita ao medo, ao sofrimento e aos incômodos. Da mesma forma no imaculado Brahman, ao imaginar coisas que não existem – como isto e aquilo – uma falsa entidade conhecida como mente surge como algo aparentemente real, funcionando como isto e aquilo e mostrando-se incontrolável e poderosa ao incauto; porém, para o buscador senhor de si e dotado de discernimento, conhecedor da natureza da mente, ela é fácil de ser abandonada. Só um tolo, ignorante da natureza da mente, diz que é muito difícil. D: Qual é a natureza da mente? M: Pensar nisto e naquilo. Na ausência de pensamento, não existe mente. Extinguindo-se os pensamentos, a mente permanecerá apenas em nome, tal como o chifre de uma lebre; desaparecerá como...
Virtual Media Design